segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

JERÔNIMO MENDONÇA RIBEIRO E O "HINO A ALLAN KARDEC"



JERÔNIMO MENDONÇA RIBEIRO E O “HINO A ALLAN KARDEC”
Trabalho realizado em conjunto por Alex S. C. Guimarães, Geziel Andrade e Hélio Dias da Silva

Trabalho divulgado simultaneamente nos blogs:
www.alexscguimaraes.blogspot.com

www.gezielandrade-espiritismo.blogspot.com

O vídeo da execução da música executada pelo Coral foi postado, além desses blogs, também no Youtube: link:

http://www.youtube.com/watch?v=K2eU2dv1JvQ&feature=email

NOTA: Veja, no final deste artigo, o vídeo da execução do "Hino a Allan Kardec", pelo Coral da Mocidade Espírita de Mogi Mirim Alcides Hortêncio, com arranjo de Maria Angela Marchioro Finazzi, em outubro de 2004, em comemoração aos 200 anos do nascimento de Allan Kardec.

SOBRE JERÔNIMO MENDONÇA RIBEIRO
Jerônimo Mendonça Ribeiro nasceu em Ituiutaba-MG, no dia 01 de novembro de 1939, na família simples de Altino Mendonça e Antonia Olímpia de Jesus.

Passou a ter uma atuação notável no Movimento Espírita, desde jovem, quando se tornou espírita, após ter conhecido os princípios do Espiritismo.

Mesmo suportando as complicações no estado de saúde, decorrentes de uma artrite reumatóide progressiva, a partir dos 18 anos de idade, que o obrigou a usar muletas, cadeira de rodas e ficar imobilizado numa cama ortopédica, não se sentiu impedido de se locomover e de trabalhar pelo ideal espírita.

Além disso, não se sentiu detido nem pela perda gradual da visão, que o deixou cego, e nem mesmo pelos crescentes problemas cardíacos.

Superando extremas limitações físicas e grandes dificuldades de todas as ordens, manteve sempre:
O bom ânimo, o bom humor, o riso e a alegria;
Jamais perdeu o gosto de conversar e de dar bons conselhos;
Continuou com afinco os seus estudos do Espiritismo;
Manteve a frequência assídua em reuniões espíritas;
Aceitou fazer palestras espíritas, mesmo tendo que viajar para cidades distantes;
Fundou Centros Espíritas e uma Creche;
E escreveu diversos livros.

Em função disso, foi apelidado por amigos e ficou conhecido como “O Gigante Deitado”.

Jerônimo Mendonça Ribeiro desencarnou na cidade em que nasceu, em 26 de novembro de 1989, deixando exemplos de vida e um legado importante para o Movimento Espírita.

Nesta oportunidade, estamos divulgando o artigo abaixo, que mostra o gosto que Jerônimo Mendonça Ribeiro tinha pela música “Hino a Allan Kardec”.

Em complemento a isso, estamos apresentando também a partitura dessa música, a letra da música e a execução da mesma pelo Coral da Mocidade Espírita de Mogi Mirim Alcides Hortêncio.

Esperamos, dessa forma, registrar o gosto que esse notável vulto do Espiritismo tinha pela música e pelo canto.

- - - - - - - - - -
HINO A ALLAN KARDEC: A MÚSICA QUE JERÔNIMO MENDONÇA RIBEIRO E AMIGOS GOSTAVAM DE CANTAR

Por HÉLIO DIAS DA SILVA

AS REUNIÕES ESPÍRITAS EM ITUIUTABA-MG
Nas reuniões espíritas que eram realizadas na casa do Bolivar Gomes Campos, na Avenida 13, esquina com a Rua 30, na cidade de Ituiutaba-MG, nos anos de 1958, 1959, 1960, 1961, participavam a Sra. Idalides e seu esposo Antonio Ribeiro, Sra. Aparecida e seu esposo Francisco, Sra. Lázara e sua filha Elza, Sra. Silas e seu marido Euclides, Srta. Leone Gonçalves, e outros companheiros como Jerônimo Tibúrcio Nogueira (Jeromão), o jovem Aramitan, Srta. Ruth Scobar, Jerônimo Mendonça Ribeiro, eu e alguns vizinhos cujos nomes no momento não consigo precisar.

Todas essas pessoas a quem me refiro fizerem parte, na época, das reuniões doutrinárias da União da Mocidade Espírita de Ituiutaba.

Esse grupo que se reunia na casa do Bolivar era muito unido e teve essa amizade construída nas reuniões da Mocidade Espírita de Ituiutaba.

As reuniões da Mocidade aconteciam aos domingos, às 09 horas da manhã, no Grupo Espírita Amor Fraterno, localizado na Av. 7, entre Ruas 16 e 18, cujo salão foi gentilmente cedido pelo seu presidente Gabriel da Rocha Galdino, um dos grandes mentores do Jerônimo Mendonça Ribeiro, na sua iniciação ao Espiritismo e pessoa de forte atuação no Movimento Espírita local.

O GOSTO PELA MÚSICA ESPÍRITA
Ninguém era músico, nem contávamos com a ajuda de qualquer instrumento musical.

A cantoria acontecia sempre após as reuniões espíritas do culto do Evangelho no lar, de maneira espontânea e natural.

Geralmente, quem puxava a cantoria eram, ora o Bolivar Gomes Campos, ora o Jerônimo Mendonça Ribeiro. Os dois eram os mais animados, os mais entusiastas e sempre puxavam a cantoria, enquanto os outros iam se juntando gradativamente.

Nem sempre as músicas eram espíritas. Outras composições como “Foi Deus Quem Fez Você” e “Chuá Chuá” eram cantadas quase todos os dias. Essas músicas não são espíritas, mas são bonitas e profundas, principalmente, “Foi Deus Quem Fez Você”. Desta música o Jerônimo Mendonça não participava, mas ouvia com muita atenção e respeito.

Eles tinham facilidade para iniciar a empolgação do grupo. Tinham voz mais afinada, cantavam melhor e mais bonito. As músicas espíritas “Alegria Cristã” e “Hino a Allan Kardec” ficavam muito bonitas quando havia a participação de todos.

Quando eles começavam a cantar, se juntavam todos naquele clima de alegria e verdadeira fraternidade.

As músicas que mais cantávamos eram realmente “Alegria Cristã” e o “Hino a Allan Kardec”.

OS LIVROS UTILIZADOS NAS REUNIÕES ESPÍRITAS
As reuniões espíritas na casa do Bolivar aconteciam todos os dias, às 18 horas. Nelas, o Jerônimo Mendonça tomava parte participando dos comentários, juntamente com o Bolivar e a Geni, sua esposa.

Outras pessoas presentes também participavam, manifestando opinião sobre o que entendiam do assunto tratado.

Os livros utilizados nas reuniões eram “O Evangelho Segundo O Espiritismo”, “O Livro dos Espíritos”, “Agenda Cristã” e outros de mensagens.

Esse hábito de oração foi cultivado pela família de Bolivar durante o tempo que morou em Ituiutaba.

A MUDANÇA DA FAMÍLIA DE BOLIVAR PARA GOIÂNIA
Quando mudei para Ituiutaba, em 1958, a família do Bolivar já morava nesse local, Av. 13, com a Rua 30, e lá permaneceu morando durante muitos anos.

O Bolivar era alfaiate e conhecido também como “Bolivar Alfaiate”.

Ele mudou para Goiânia em meados da década de 60, quando vendeu sua Alfaiataria e alguns imóveis que possuía em Ituiutaba.

A MUDANÇA NAS REUNIÕES ESPÍRITAS
Com essa mudança de Bolivar e sua família para Goiânia, houve mudança também em relação às reuniões espíritas que eram realizadas em sua casa.

Elas passaram a ser, semanalmente, em casas diferentes, de cada um dos membros da família, já que todas as irmãs da Geni, esposa do Bolivar, mudaram também para aquela capital, acompanhadas de seus maridos e filhos.

MINHA VISITA A GOIÂNIA
Quando estive em Goiânia, na casa do Bolivar, participei de uma de suas reuniões espíritas.

Foi uma emoção muito grande, porque revivia um sentimento e uma vibração que durante muitos anos foi o clima da nossa convivência na cidade de Ituiutaba.

Essa visita aconteceu em 1980, quando estive em Goiânia resolvendo assuntos profissionais.

Desculpe se não respondi a todas às indagações.
Um grande abraço!
Hélio Dias

- - - - - - - - - -
LETRA DO HINO A ALLAN KARDEC

Letra e Música de CECÍLIA AMARAL ABREU

PRIMEIRA VOZ:
Allan Kardec bom mestre,
Vimos teu nome exaltar.

SEGUNDA VOZ:
Allan Kardec bom mestre,
Vimos te exaltar.
PRIMEIRA VOZ:
Te imploramos numa prece
Proteção espiritual.

SEGUNDA VOZ:
Te imploramos numa prece
Proteção.

PRIMEIRA VOZ:
Batalhador da verdade,
Da seara do Senhor.

SEGUNDA VOZ:
Batalhador da verdade,
Da seara do Senhor.

PRIMEIRA VOZ:
Guia a pobre humanidade,
Pra paz, pro bem e o amor.

SEGUNDA VOZ:
Guia a pobre humanidade
Pra paz e o amor.

SEGUNDA PARTE DA MÚSICA
PRIMEIRA VOZ:
Glória, Glória Allan Kardec.
Sublime emblema de luz.

SEGUNDA VOZ: Glória, Glória,
Emblema de luz.

PRIMEIRA VOZ:
Glória, Glória Allan Kardec.
Que nossas almas conduz.

SEGUNDA VOZ:
Glória, Glória
Nossas almas conduz, conduz.

PRIMEIRA VOZ:
Salve, Salve Allan Kardec.
Mestre de exemplo e de amor.

SEGUNDA VOZ:
Salve, Salve Mestre de Amor.

PRIMEIRA VOZ:
Caminharemos seguindo
Teus passos até o Senhor.

SEGUNDA VOZ:
Caminharemos seguindo
Ao Senhor.

RETORNO AO INÍCIO DA MÚSICA
PRIMEIRA VOZ:
Kardec mestre altaneiro,
Exemplo de caridade.

SEGUNDA VOZ:
Mestre altaneiro,
Exemplo de caridade.

PRIMEIRA VOZ:
És o fiel timoneiro,
Da nossa felicidade.

SEGUNDA VOZ:
És timoneiro
Da nossa felicidade.

PRIMEIRA VOZ:
Caminharemos contentes,
Sempre firmes, sem temor.

SEGUNDA VOZ:
Caminharemos contentes,
Sem temor.

PRIMEIRA VOZ:
E um dia alcançaremos
As moradas do Senhor.

SEGUNDA VOZ:
Alcançaremos as moradas
Do Senhor.

- - - - - - - - - - - -
A EXECUÇÃO DO “HINO A ALLAN KARDEC”,
PELO CORAL DA MOCIDADE ESPÍRITA DE
MOGI MIRIM ALCIDES HORTÊNCIO,
OCORREU EM OUTUBRO DE 2004,
EM COMEMORAÇÃO AOS 200 ANOS DO
NASCIMENTO DE ALLAN KARDEC.

O ARRANJO É DE MARIA ANGELA MARCHIORO FINAZZI.

video

2 comentários:

Geziel Andrade disse...

A minha amiga Maria Lucia escreveu-me o seguinte a respeito de Jerônimo e do artigo publicado:
"Muito boa essa reportagem sobre o gosto pela musica de nosso irmão Jerônimo. Isso vem nos mostrar que as grandes almas estão envolvidas por essa luz em nossas vidas que é a “Musica”. Também ver esse filme na comemoração das datas espíritas, esses momentos em nossas vidas no tempo de mocidades e comemorações no centro e no movimento espírita nos marcam e nos ajudam a crescer.
Abraços,M.Lucia."

Geziel Andrade disse...

Meu amigo Alvaro Peiro Ibanez, de Gandia, na Espanha, escreveu-me o seguinte a respeito de Jerônimo e do artigo publicado:
"Aprovechamiento do tempo: Impresionante, Jerónimo Mendonca, educado para ser espirita, y quedó privado, sin perder la ilusión de vivir y aconsejar a los demás, que el espiritismo nos conforma para continuar la lucha y conseguirlo.

Crear un himno a Kardec el codificador, tenemos que tener mucha fe, porque esta doctrina es la base principal de todo. Triunfará, pero está en nuestras manos el conseguirlo. Jerónimo nos dio un ejemplo maravilloso, sigámosle.
Abrazos de tu hermano."