sexta-feira, 11 de junho de 2010

BOM TOM ESPÍRITA


BOM TOM ESPÍRITA


Geziel Andrade

Mensagem da Foto:
Aplicar o bom tom para florir na vida.

“De nada valem bons verbos
E códigos de bom tom,
Se vives falando a esmo
Sem praticar o que é bom”.

(Casimiro Cunha/F.C.Xavier,
No livro “Coletânea do Além”.)

A educação espírita prepara-nos para usarmos bem as faculdades da alma e darmos o bom tom em todos os momentos de nossa convivência e de nosso relacionamento com os semelhantes.

Assim, não ficamos apenas nas boas intenções e palavras bonitas. Partimos para a prática do bem e das boas ações, destacando-nos como pessoas simpáticas, gentis, agradáveis, fraternas e úteis para os que nos cercam.

Com a Doutrina Espírita, compreendemos que é de bom tom ter boas maneiras nos modos de ser, sentir, pensar, falar e agir, seguindo Jesus como modelo e guia e nos espelhando em pessoas virtuosas e educadas, como o foi Chico Xavier.

Assim:
1. Comunicamo-nos com elegância e sabedoria;
2. Sabemos ouvir, dar atenção e discutir com nobreza moral as crenças, convicções, opiniões e idéias diferentes das nossas;
3. Esclarecemos as dúvidas alheias com paciência;
4. Demonstramos profundo respeito ante as situações difíceis enfrentadas pelo próximo, procurando amenizar suas provações e dificuldades com o espírito fraterno;
5. Desempenhamos com satisfação e responsabilidade as tarefas que nos foram confiadas;
6. Pedimos humildemente desculpas quando caímos em algum erro;
7. Sustentamos a convivência pacífica, com o entendimento amplo das condutas alheias;
8. Demonstramos gratidão pelos pequenos favores recebidos;
9. E trabalhamos espontaneamente e com alegria pelo progresso geral, favorecendo a todos.

No Movimento Espírita, encontramos muitos livros que nos ensinam a dar o bom tom em todas as ocasiões.

Como exemplo, temos as páginas do notável livro “Agenda Cristã”, de autoria do Espírito André Luiz, e psicografia de Chico Xavier.

Nesse livro, aprendemos que é de bom tom espírita:
1. Ensinar exemplificando;
2. Amar edificando;
3. Falar construindo;
4. Perdoar, extinguindo o mal;
5. Beneficiar, agindo com humildade e simplicidade;
6. Trabalhar com honestidade;
7. Expandir o bem, difundindo a generosidade;
8. Servir sem fazer exigências ou esperar recompensas;
9. Socorrer o aflito, restabelecendo a esperança e a alegria na alma ferida;
10. Orar em favor do próximo, mesmo sendo ele nosso inimigo;
11. Aproveitar bem o tempo, conquistando a prosperidade;
12. Viver trabalhando e estudando, buscando o progresso material, moral e espiritual.

Portanto, no meio espírita não nos faltam códigos de bom tom.

Porém, não devemos só difundi-los pela palavra, mas principalmente dando o bom exemplo.

Fazemos isto, semeando o que é bom e colocando em prática o bem e as virtudes, em todos os momentos na família, no ambiente de trabalho e na vida social.

Esses momentos de convivência e relacionamento são oportunidades valiosas para iluminarmos os corações; fortalecermos os laços de amizade; e difundirmos a fraternidade com os atos de bondade e os gestos de amor e carinho. Isto é realmente o bom tom aplicado no cotidiano.

Um comentário:

Jorge Rizzini disse...

Recebi do prezado amigo Antonio Carlos, os seguintes comentários: "O artigo me fez lembrar da máxima: "As palavras movem as pessoas e os exemplos arrastam as pessoas"
Devemos fazer de nossas ações uma oração. Abraços, Antonio Carlos."